Featured Post Today
Latest Post

Parisian chic: os segredos do "je-ne-sais-quoi" de Inès de la Fressange!

A musa e ilustre cidadã de Paris, decide comentar o seu estilo na forma de um guia sobre a elegância onde a regra é o ser simples, porém sofisticado! Não apenas no livro, mas no próprio exercício do vestir desempenhado por essa icônica top model - a melhor que a Chanel um dia teve em minha humilde opinião - podemos conferir o charme da discrição, o grande valor da simplicidade na composição dos looks e a atemporalidade de um estilo que atravessa gerações ganhando inúmero(a)s admiradores pelo mundo. Vamos fazer um breve passeio pelo estilo de Inès?!

Inès nos tempos da Chanel...

Campanha para a Chanel! Ela foi modelo exclusiva da mason durante sete anos.


Foto mais atual. Alguém aí falou em charme?!

No compêndio dos looks favoritos de Inès, estão destacados a camisa e a calça sequinha com carinha de 60's!

Preto e branco sempre! Junto com as sapatilhas Roger Vivier!


A diva em Cannes! A quintessência da sobriedade e elegância parisiense!

A última capa de InÈs para a Elle francesa.

O livro novo de InÈs de la Fressange! Quero um pra ler no futuro, tsc tsc!


Agora, podemos pensar.... em que peças investir pra seguir os conselhos de estilo de Inès?! Que tal investir em peças clássicas e atemporais de qualidade?! Separei algumas referências que podem nos iluminar....

Blazer preto (acinturado, sempre!) e um bom par de jeans!

A camisa listrada com ar náutico é obrigatória! O trench coat também! Fica legal usar o trench fechado no inverno ou abertinho na primavera, como a gente pode ver na foto.... 

Little black dress como norma! Mas tem que ser indefectível! Vale investir em modelos variados, com cortes e cumprimentos variados...

Um cardigan sobre um vestidinho de pois (outro clássico do estilismo Fressange que é a cara de Paris!)... Simples e maravilhosamente b-e-l-o!

Não dava pra deixar de comentar por aqui  um pouco sobre o livro e o estilo de Inès de la Fressange, uma mulher que para ter estilo é tão espontânea, cheia de atitude e dona de uma história de vida incrível.... espero que apreciem.... besos!
1 comments

Sobreposição no verão?!

E porque não?! Podemos escolher tecidos mais levinhos, camisas sem mangas com golinha fechada pra usar por dentro de vestidinhos (vide Alexa Chung!); blazers por cima da roupa (sem ser exatamente vestidos, tipo usados como capinha, sabe como?!) e/ou sobre o combo regata + shortinho; transparências; kimonos levinhos, regatas embaixo de vestidinhos com a gola bem decotada, jaquetinhas sem manga, camisas abertas sobre regatas, etc, etc. ...... essas são algumas referências de sobreposições que separei pra nos inspirarmos esse verão.... porque ninguém merece cair na mesmice só porque é verão né?! Criatividade sempre! E abaixo a mediocridade em tudo nessa vida!!!! Vamos nos inspirar?!

Forma bem legal de jogar uma camisa (que pode ser de algodão fininha) por cima do vestido neutro!

O look visto por inteiro! Lindão, né?!

O blazer usado como capa! Muito, mooooooooito elegante.....

No lugar do jaquetão de couro (pra quem tá no frio é uma referência mara!) a gente adapta  o blazer !


Kimono levinho, levinho....

+ kimono..... 

O blazer dando uma bossa ao combo regata + short jeans! O lencinho amarrado como gravata dá um tchan ao visú! Sempre lembrando que se o calor tiver bem escaldante, a gente sempre pode dobrar as manguinhas do blazer, dando uma aliviada nos antebraços!

Blazer floral + vestido branco curtinho! Também dá pra jogar um blazer branco e compor um look total white!

A musa Alexa Chung com a golinha Peter Pan exposta! Pode ser uma sobreposição ou, podemos ainda usar só a golinha  - como se fosse um colar - sobre as peças! Nesse verão escaldante é uma idéia massa né?! E bem mais refrescante...

Transparências nas saias.... perfeitas para o verão... amo esse jogo do mostra mas não mostra....

Transparência e corte irregular! Se for neon então, é o grito do verão!

Ajaqueta jeans sem mangas também dá um toque cool aos looks de verão!

Regata + camisa por cima com a manga dobrada também dão vida a qualquer look mais simplório  de verão...

Bem, espero que tenham gostado das referências pro verão..... vamos tentar sair dos estereótipos da moda para a estação?!
0 comments

Na beca: Natal 2011!








O Natal de 2011 foi uma festa divertida em família e com amigos mais que amados do coração por perto! Acho que nada substitui o prazer de estar em casa nessa época do ano, pelo menos pra mim, que sou uma canceriana telúrica, embora do mundo!

Eu usei:
camisa sem mangas: Asos
saia: Karen Millen (London)
sandália: Furla
clutch de glitter: Parfois
relógio: Gucci
colar: Pull&Bear
anel: Pull&Bear
brinco:Primark
0 comments

O "feliz natal" da Burberry!!!!


Tá lindo o comercial da Burberry para esse natal.... com ele já vou desejando um natal abençoado a tod@s!!!! Besos!!!!!
0 comments

Mostarda pra inspirar!

Inspiração com a cor mostarda! Que cor do outono o quê?! As cores são livres e não são patrimônio de estação alguma! Enjoy!

0 comments

Na beca: um ponto pink na caatinga!

Semana passada estive em Caicó, cidade localizada no sertão do Rio Grande do Norte, por questões acadêmicas e pra conhecer o lugar! E chegando lá alucinei com a beleza das paisagens sertanejas e com a limpidez e luz do céu! Sendo assim nao hesitei em fazer umas fotos para o blog no meio dessa natureza louca e bela do sertão!!!! Blusa e saia: Zara; Bolsa mostarda (amo): Bershka; sapatilha: Fun&Basics.








0 comments

Ode ao batom vermelho!

Tem coisa mais feminina?! Eu sou muito fã de batom vermelho, independentemente do que digam as lojinhas e as revistinhas de maquiagem! Clássico de todos os tempos e aliado da boca feminina, o batom vermelho está acima de qualquer época e modinha! Claro, claro, tem quem não goste, mas confesso que é uma cor chamativa e é preciso personalidade forte pra usar essa cor nos lábios com frequência.....

 
E, pesquisando sobre o tema do batom e dos lábios vermelhos pelo youtube, vejam só as pérolas que encontrei, hihihihi... apertem o play e se lambuzem de batom carmim! :)
Bem, e pra complementar o assunto.... fiz umas fotos dos batons vermelhos que mais venho usando ultimamente - não são todos -, mas são os que sempre vêm comigo pra qualquer lugar do mundo!

1) Batom vermelho em tons mate (mais opaco e sequinho, sabe?):
O primeiro é o "Russian red" da MAC e o segundo é o "Ruby woo" também da MAC!

 


2) Tons mais alaranjados:
O primeiro é o "Sephora Rouge" da Sephora (of course!) e o segundo é o "vermelho vivo" da Boticário (make B).

 

3) Modelos mais cremosinhos e brilhosos:
O primeiro é o "flirt alert" da Benefit e o segundo é o "temptation 166" da Rimmel London.

 

Naturalmente a lista das minhas preferências/ indicações não para por aqui, tem o "femme fatale" da Chanel, ect., etc., etc. .....

Mas, a intenção era lançar o tópico do batom vermelho, que ainda não havia sido tocado aqui no blog!

E claro, como não poderia deixar de ser, vamos ver um pouco da história do batom vermelho?!

Desde o Egito Antigo que já existem registros de elaborações cosméticas de um corante vermelho feito a base de algas marinhas, iodo e bromo. Como a tal fórmula era rica em ácido, ela trouxe inúmeras doenças  infectuosas para as mulheres e para aqueles seres que por elas eram beijados, de modo que, criou-se uma fama entorno de um tal "beijo da morte". Também existem registros de uma outra forma de corante vermelho para os lábios feito a base de besouros esmagados com ovos de formigas (blargh!)... Mas, o tom vermelho nos lábios das mulheres iria se consagrar especialmente no Renascimento, mais precisamente no século XVI, quando a Rainha Elisabeth I popularizou o batom vermelho e o pó de arroz utilizado como base em pó para a face. Foi a partir de então que a composição do batom foi evoluindo para componentes mais sofisticados - ou menos primitivos - a exemplo da cera de abelha, óleo de jojoba e derivados de outras plantas de coloração vermelha. O furor da tal moda do batom vermelho revolucionou o período. Na Inglaterra do século XVII, as mulheres maquiadas, consideradas "sedutoras dos homens" vieram a ser penalizadas pelo Congresso e pela figura do Pastor Thomas Hall, na "qualidade de criaturas do diabo". A coisa era mau vista a tal ponto, que em 1770 o Parlamento inglês lançou uma lei declarando que as usuárias do batom vermelho podiam ser consideradas bruxas. Até o século XVIII, de um modo geral, a maquiagem foi colocada na marginalidade na Europa Ocidental, tendo sido considerada algo próprio das prostitutas e das atrizes mais "ousadas". Enquanto isso, no Japão, as gueishas usavam e abusavam da maquiagem que já era um fetiche para os homens daquela cultura.  Apenas no século XIX é que o batom começa a ser bem visto na Europa, e a marca ou a mason francesa Guerlain foi uma das pioneiras a manufaturar o produto. Em 1884, o primeiro batom da história moderna foi introduzido pelos perfumistas parisienses. Ele era embrulhado em papel de seda feito com sebo de veado, óleo de mamona e cera de abelha. Devido a popularização do produto impulsionada pelas atrizes de Hollywood  das décadas de 20 e 30, a Elizabeth Arden e a Estée Lauder começaram a vender batons vermelhos em seus salões. A partir de então, a indústria americana iniciou a produção de mais variedades de cores como o rosa claro, lilás e vermelho escarlate. Já na década de 40, com a febre das pin-ups e aSegunda Guerra Mundial, o batom vermelho deu uma guinada. As escalas de produção tornaram-se mundiais, principalmente após a invenção das embalagens push-up em metal e do delineador para lábios, como os de hoje em dia.

Bem, espero que tenham curtido o post super trabalhadinho pra compensar a falta de assiduidade! Besos!
0 comments
 
Support : Creating Website | Daviz Gotardo | Daviz Gotardo
Copyright © 2011. Ademodee - All Rights Reserved
Template Created by Creating Website Published by Daviz Gotardo
Proudly powered by Blogger